Friday, April 16, 2010

Então, esse post está especial; você irá notar que todos os acentos estão em seus devidos lugares graças ao site que você encontra clicando AQUI. Lá tem todos os códigos de acentos e caracteres especiais e parece difícil mas você acaba se acostumando (principalmente se estiver usando duas telas como eu :-P ). Uma dica é: quando quiser por o acento agudo, ex.: "é", ou "ó", clique em Alt Gr e mais a letra. Fácil, não?!

Um dos motivos de eu ter orgulho de ser brasileiro está vindo pra Dublin em julho. Mulata, samba, ou futebol, my ass! Estou falando do Sepultura! A Karen e a Sinead conhecem os promotores do show e já conseguiram uma oportunidade pra fazer um número durante o show dos caras. A Karen pediu pra eu escolher a música. Falando em Sepultura fiquei sabendo que os caras lançaram a própria cerveja no Brasil. Parece que é cara, mas dá curiosidade de experimentar.

Sobre a diferença entre formalidade nas línguas, algo engraçado rolou há pouco tempo aqui: Alguém me ofereceu um sanduíche e eu tentando ser educado disse que "aceitaria um sanduíche". O pessoal riu e deu uma zoada com a minha cara. Pois dizer "I accept" em inglês soa um pouco formal, e não é natural como no Brasil. O contrário também rola: quando você confirma algo em português, você diz "com certeza" ou "exatamente". Imagina se você passasse a dizer "absolutamente" ou "definitivamente", soa um pouco formal, polido, não?! Aqui, "absolutely" ou "definitely" é falado até por pessoas quer moram no gueto, ou "knackers" como são conhecidos os "farofeiros" daqui. Então "just to conclude", que também é algo meio "posh" em inglês, a formalidade é baseada em fatores como a repetição do termo. Pois se você andar pelas ruas do Rio e começar a ouvir "absolutamente" ou "muito obrigado, de fato!" logo, logo isso vai se tornar natural. Thanks very much, indeed!

Aqui embaixo vai o post do Marcelo, que eu achei interessante pois ele descreve a Irlanda com olhos de turista. Valeu, morça!


————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————


I’m irish! What is your excuse?

Essa frase em inglês é de uma camisa que usei na Irlanda com o propósito de demonstrar às pessoas que estava gostando muito deste país. A idéia deu certo, é claro, somente com as mulheres (ainda bem! rs) porque os “homi” ficaram com inveja! Hahaha

Como estudioso do Direito, especialmente em Ciências Penais, eu analisei muito o comportamento do povo. Fiquei muito impressionado com a educação na maior parte do país, um povo extremamente educado. A primeira palavra mais falada é “sorry” e a segunda é “thank you”. Por onde você anda, você não se sente ameaçado, com medo de ser assaltado e ninguém fica te “manjando”. Foi difícil me acostumar a essa realidade. Aqui no Rio, isso me parece “utopia”. Mas, não quero falar do Rio, pois só falo coisas boas do Rio!

É impressionante que pra tudo tem Leis e multas! Multas bem salgadas que fariam nossos “brasas” pensar duas vezes antes de deixar o cachorro fazer “póps” na rua e o dono não limpar, beber na rua, estacionar em local inadequado ou não pagar estacionamento, etc... É um país disciplinado, bem como o seu povo.

Tentei explicar às pessoas as coisas boas do meu país, mas quase ninguém conhecia as praias, o pão de açúcar, corcovado, água de coco (em muitos países isso é raridade!), os parques nacionais de Minas Gerais, etc... Todo mundo sabe o que é: Ronaldinho, futebol, samba e Carnaval, mas quando se trata da cultura, acho que ninguém sabe nada... Eu, pelo menos, tentei explicar as coisas boas e sei que consegui. Acho que vai ter muito mais gente agora digitando no “google” o nome das praias, pão de açúcar, corcovado, caipirinha, etc...

As comidas são sensacionais! Destaque para a sopa de frutos do mar* que você acha em qualquer restaurante e leva camarão descascado, às vezes mexilhões e acho que peixe "namorado" ou algo assim... Os “sandubas” de carne de ovelha ou carneiro, suco de frutas como “cranberry”, as cervejas maravilhosas como a Guinness e, é claro, a bebida que não podia faltar pra mim: Bulmers! Uma “cider” muito jóia!

Foram quase 3 semanas e eu acho que deu pra conhecer a Irlanda mesmo, rodamos o país! É incrível como podemos atravessar o país em 3 a 4 horas, as estradas são ótimas, “estradões”, pouco trânsito. Outra coisa, o país é tão pequeno e tem tanto pra construir, acho que nem 20% do país foi construído. Cidades grandes são: Dublin, Belfast, Galway, Limerick, Cork e mais umas 5. Nunca vi tantas ovelhas e corvos na vida... Alias acho que tem mais ovelhas no interior do que gente morando nesse país. :D

Uma cidade me deixou saudade: Galway! Até tem uma música chamada “Galway Girl”.
Uma graça de lugar, paixão à primeira vista, tem uma estrutura maneiríssima, as pessoas são muito legais, as mulheres são modelos, rs, todas são simpáticas. Muitos monumentos históricos. Não muito longe de lá, é possível ir ao “Cliffs of moher”, que é o máximo! Resumindo, um lugar que você se sente na Irlanda porque o que mais tem é irlandês e os brasileiros são extremamente bem-vindos! :D

Dublin foi a segunda cidade de que mais gostei. Parece uma (mini) cópia de Londres, tumulto básico, trânsito confuso, lembrei, de certa forma, do centro da cidade no Rio.*² Mas, tem muitos lugares pra conhecer, castelos, igrejas antigas, parques e muitos pubs... Já o Temple Bar não tem nada demais...

Enfim, isso é um “post” apenas. Irlanda é um país que deixa saudade (palavra essa que existe em poucas línguas e parece que é a sétima palavra mais difícil de traduzir) e uma possibilidade de se buscar sonhos e realizações profissionais.
Agradecimentos imensos ao Antonio que possibilitou essa oportunidade única de visitar “seu” novo país!
Até!
Marcelo



*sea food chowder
*² lembrando que essas são opiniões do morcego e o dono deste blog não necessariamente concorda com tudo :-)

1 comment:

K∂riиє* Smith. said...

Essa é a música do Rosinha pra mim, 'Galway Girl', mas ele fez uma versão com carioca no meio :)

Acredita que ainda não conheço Galway?, acho que o Eamon tá com medo de eu resolver me mudar pra lá.