Monday, November 29, 2010

A questao das...

Drogas sempre foram usadas e vao continuar sendo usadas ainda por um tempo indeterminado. Os egípcios usavam drogas, foram até encontrados vestígios de cocaína (???) em múmias! Algumas sao legais e é somente dessas que eu participo. Nao que eu precise, mas uma cerveja, uma taca de vinho, um whisky ou ate mesmo um licor de chocolate de vez em quando me cai bem. Agora mesmo estou com uma pint de cerveja na mao. Uso sim com moderaçao.

Quanto as ilicitas. Existem varias delas. A cocaína era bem popular ate perder um pouco de espaco pra heroina, droga preferida de 9 entre 10 rockeiros. Existe a maconha, haxixe, crack, ácido e as sinteticas, anfetamina, LSD, extase e etc etc e etc. Nesse momento pode ser que estejam inventando mais uma droga por aí. Na minha mente um pouco sã, nao dá pra entender pq se arriscar nessas drogas sinistras quando as legais ja dao uma onda boa. Eu particularmente confesso que tenho medo de usar drogas ilícitas pelo simples fato de nao saber o que tem ali. Quem garante que a cocaína que vc compra eh 100% cocaina? Vc pode conhecer o fornecedor mas eu nao sei se posso confiar em alguem que fornece algo que eh ilegal.

Aqui na Europa o problema das drogas eh muito bem encoberto debaixo do pano pra ninguem saber. Eu, nascido e criado no Rio de Janeiro, nunca vi tantas drogas quanto eu vejo aqui. Já fui em varias festas onde nao muito raro terminavam em muito pó e até Special K. Aqui talvez nao exista aquele sentimento de "culpa" que tem no Brasil por estar fazendo algo ruim, pelo menos no Rio existe sim esse sentimento, lá as pessoas dizem pros drogados "Vc é quem financia essa m**". Em Portugal as pessoas me ofereciam drogas nas ruas como quem vende bala. Lá no Rio, aquela tal cidade que é noticiada como muito violenta, nunca, mas nunca na minha vida alguem tentou me vender drogas na rua, assim, escrachadamente. Havia sim aquelas festinhas onde um ou outro puxava um fumo, mas até mesmo cocaína eu nunca vi alguem cheirar em todos os meus quase 30 anos morando no Rio. Eu falo isso pros meus amigos europeus e todos parecem surpresos.

A diferenca entre o Rio e a Europa eh a postura das pessoas. Aqui as pessoas usam drogas mas fica nisso mesmo. No Rio isso envolve corrupcao de menores, trafico de armas, sem contar na corrupcao do sistema, policia etc. Nao sou a favor da descriminalizacao de nenhuma delas pq acho q soh aumentariam os problemas. O alcool em si já basta como grande causador de acidentes de transito e vidas perdidas. Porém, sou a favor de uma política de consciencia. Claro que para isso precisa-se sim, tirar essas AR15, AK-47, uzi e sub com mira laser desses malucos, prender o maximo que puder prender, pra dai sim entrar com um plano social. A justiça deve funcionar igual pra todos. Os direitos contidos nos Art. 5 e 6 da nossa constituição são direitos não somente daqueles que vivem em coberturas na Barra ou apês da Z. Sul. As pessoas da Penha, Baixada, Rocinha e por ai vai têm os mesmos direitos.

É claro que esse assunto é um pouco mais profundo que essas linhas e tambem envolve o proprio sistema. Enquanto nao houver um sistema socialista, tudo que é ruim numa sociedade vai continuar existindo em proporcoes maiores e até insuportáveis como vemos no Rio. Nunca na história da civilização tivemos um sistema justo pra todos. Tivemos sim, um ou dois países que entraram numa onda socialista porém como o resto do mundo, liderados pelo capitalista-mor EUA não aderiram, o mal venceu. Quanto a repressao as drogas, essa guerra não deve ser feita apenas pelo Rio de Janeiro, muito menos pelo Brasil. Todos os demais países da A. do Sul, A. do Norte, Europa, Asia, Africa e Oceania devem participar tambem. É somente no coletivo que vamos ver um resultado. É somente com o fortalecimento dos Estados que os cidadãos terão a garantia dos seus direitos. Não adianta apontar o dedo pro Rio e dizer que é culpa do Sérgio Cabral ou dos governos anteriores. A culpa é da falta de uma política séria internacional. O Sérgio Cabral tomou uma decisão séria ao pedir ajuda as forças armadas. Essas açoes no Rio foram como mover um grão de areia. O resto da praia também precisa se mexer!

p.s. desculpe-me pela grafia. Escrevi esse texto ontem com um teclado sem acento e fiz uma rápida revisao de acentos hoje.

3 comments:

K∂riиє* Smith. said...

Acho que esse tipo de coisa muito complexo, nem tenho opinião formada, a diferença não é só a diferença de comportamento do brasileiro e do europeu, mas sim a diferença de classe social, estilo de vida e outras coisas...acho aqui mais tranquilo apesar de saber que existe o trafico...mas , posso estar enganada...

Aline Leone said...

Texto impecável!
Melhor por ser carioca e estar na Europa.
Há alguns (muitos) anos quando estive nos EUA me perguntaram se aqui andavamos em cipós...
A questão é como a imagem é passada, as pessoas se preocupam em divulgar e não em solucionar...
Adorei seu blog, estarei indo em janeiro pra Dublin ;) se quiser passa no meu blog http://diariodebordosonhos.blogspot.com/ irei indicar o seu e acompanhar.
Beijo

Antonio Proenca said...

Tá certa Karine, apenas quis mostrar que as drogas aqui circulam a vontade e quase nao existe repressao. É a tal estória o gov. finge que nao sabe de nada e o usuario finge que nao ta fazendo nada. Tb quis mostrar que a mudanca deveria ser no coletivo e nao apenas o Rio de Janeiro fazendo mega-operacoes em favela. Bjs